A história do cinema no Paraguai começa em 1905, com uma série de curtas mudos filmados pelo diretor argentino Ernesto Gunche. O primeiro filme dirigido por um paraguaio foi Alma Paraguaya, de Hipólito Carrón, em 1925, com apenas 10 minutos de duração. Carrón seguiu a carreira cinematográfica e produziu um bom número de documentários curtos com seu sobrinho e assistente de câmera Agustín Carrón Quell, porém quase todos os registros foram perdidos.

O documentário de 1932 En el Infierno del Chaco, dirigido pelo argentino Roque Funes, foi o primeiro filme com som gravado no Paraguai. Apesar das experiências cinematográficas paraguaias datarem de 1905, a indústria cinematográfica do país sempre sofreu com a falta de investimento do governo e de grandes empresas e com a falta de interesse público, o que fez com que o filme ficasse 5 décadas praticamente sem realizar produções filmícas.

O primeiro longa-metragem filmado no Paraguai foi Codicia, em 1955, a primeira de várias co-produções cinematográficas entre Argentina e Paraguai, mas à época o militar Alfredo Stroessner já havia assumido a presidência do país, cargo que ocupou entre 1954 e 1989, num governo repressivo, com pouco espaço para a produção cinematográfica – com exceção do filme Cerro Cora (1978), de Guillermo Vera, que promovia o ponto de vista histórico e político do governo de Stroessner.

Em 1962 estreou o longa-metragem La burrerita de Ypacaraí, co-produção entre Argentina e Paraguai, que contava com a participação do grupo musical Trío Los Paraguayos.

Desde o reestabelecimento da democracia e com a popularização dos equipamentos compactos de vídeo, contudo, houve melhoras no cenário cinematográfico paraguaio. Em 1990, a Fundacíon Cinemateca del Paraguay foi criada e o Festival de Filmes de Asuncíon foi inaugurado, além da construções de diversos novos cinemas pelo país.

Em 1984, o diretor Juan Carlos Maneglia (que mais tarde fez sucesso com o filme 7 Cajas) escreveu, dirigiu e editou o videoclipe Caza de Brujas, que usava uma música da banda RUSH enquanto narrava imageticamente as memórias de uma bruxa no cemitério da Recoleta.

Em 1998, foi lançado o filme El Toque del Oboe, de Cláudio MacDowell, numa co-produção com o Brasil, um dos primeiros filmes paraguaios em que a música ocupa um papel central na história.

Em 2009, os franceses Enrique Carballido e Sylvie Moreau lançaram o longa-metragem Esperanza, que conta a história de artistas renomados do Paraguai durante a ditadura de Stroessner.

Em 2015, foi lançado o longa-metragem Landfill Harmonic, co-produção do Paraguai com os Estados Unidos, no qual os diretores Brad Allgood e Graham Townsley contam a história de crianças que criam uma orquestra feita com restos de lixo.

Embora o número de filmes produzidos no país tenha aumentado, o investimento na indústria paraguaia continua um problema e o mercado cinematográfico ainda é dominado por filmes norte-americanos e argentinos.

Lara Carvalho

Referências

CUENCA, Manuel. Historia del audiovisual en Paraguay. 2009. Disponível em: www.recam.org. Último acesso em 25 de maio de 2015.

DENNISON,Stephanie(org). Contemporary Hispanic Cinema. Interrogating the Transnacional in Spanish and Latin American Film. Woodbridge, UK: Tamesis, 2013.

ETCHEVERRY, Hugo Gamarra. What does cinema mean for Paraguay. 2002. Disponível em: www.sensesofcinema.com. Último acesso em 25 de maio de 2015.

SCHEMBORI, Tana; MANEGLIA, J.C. La industria audiovisual en Paraguay. 2003. Disponível em: www.web.archive.org. Último acesso em 25 de maio de 2015.

STOKES, Rose. Out of the darkness: Paraguayan National Cinema. 2011. Disponível em: www.ecufilmfestival.com. Último acesso em 25 de maio de 2015.

Sites e notícias:

Discovering Paraguay. discoveringparaguay.com

Festival Internacional de Cine, Arte e Cultura – Paraguay 2014. pla.net.py

Made in Paraguai – Mostra de cinema paraguaio. www.guiadasemana.com.br

Mostra de cinema paraguaio exibe filmes premiados em SP e Rio. www.guia.uol.com.br

 

Blogs, Sites e Publicações
Portal Guarani – www.portalguarani.com